2015/03/11

Mercado Persa 2015

20 anos... 
O Mercado Persa esse ano comemora 20 anos de existência. O maior evento de dança do nosso Pais, que revolucionou esse mercado, e atrai a cada ano mais expectadores.

texto tirado do site Mercado Persa...

Há mais de 20 anos uma das precursoras da dança oriental árabe no Brasil decidiu realizar uma grande festa visando a confraternização dos praticantes de danças árabes e uma oportunidade para a divulgação de seus trabalhos.
Mestra Samira Samia teve então a visão de criar um dos principais festivais de dança do planeta! Sem saber ao certo que caminhos esse evento tomaria, a mestra alugou um salão em São Paulo e convidou as professoras que conhecia e os poucos prestadores de serviços que já atuavam em nossa área para um dia de muita dança e festa!
A primeira edição o evento contou com cerca de 30 profissionais, suas alunas e um público da região, atraído pela curiosidade. O evento contou com cerca de 7 estandes com algumas mercadorias para dança mas a ideia inicial não era venda mas sim um mercado de troca de produtos.
Uma a uma, sem pressa, as profissionais subiam ao palco e dançavam tranquilamente apresentando seus trabalhos…e entre muitas danças, confraternizações, bate papos o dia foi um sucesso! Uma festa alegre com cerca de 300 pessoas !
A partir do ano seguinte Shalimar, filha da mestra Samira, decidiu inserir algumas novidades e assim o Mercado Persa, tal como conhecemos hoje, foi tomando forma. Shaly criou normas e procedimentos para mostras de dança, idealizou o 1º Concurso de Dança do Ventre da América do Sul, Europa e Oriente.
Ano após ano o evento cresceu e evoluiu colaborando significativamente com o desenvolvimento do segmento da dança oriental em nosso país. Foi a partir do Mercado Persa que se iniciou a divulgação da dança oriental árabe para o público em nosso país, a criação de novos negócios e postos de trabalho e consequentemente o intercâmbio de serviços no segmento.
Com as competições os profissionais tiveram que se dedicar ainda mais ao estudo técnico da dança e conhecimento da cultura árabe o que vem contribuindo de forma acentuada para o seu desenvolvimento e organização.



                                                INFORMAÇÕES



E,,, A Mafia tem o prazer de sortear DOIS ingressos COM acompanhante para esse grande evento.

Então, deixe seu nome e email nos comentários que dia 5 de abril sortearemos os ingressos. O nome dos vencedores ( e seus acompanhantes), ficaram na portaria do evento. Tudo muito pratico... 

Lembrando que o evento terá três dias, 10( show de gala), 11 e 12 de Abril. Os ingressos serão para os dias 11 ou 12, a escolha do vencedor.
Vai ficar fora dessa???? ;)


2015/02/21

O que será de nós???

Hum.. então pessoal... pois é... kkkkkk...
Ano começou tumultuado no BW... ou será que são velhos quesitos que sempre voltam a tona???
Aposto no velho... 
Vamos lá... Ballet x DV... 
Transcrevendo trechos da Wikipedia...

Ballet : 

História[editar | editar código-fonte]

O balé surgiu no século XV, durante a Renascença, nas cortes italianas, embora o seu desenvolvimento tenha sido maior nas cortes francesas, no século XVII, durante o reinado de Luís XIV, fato que refletiu diretamente no vocabulário do balé. Apesar das grandes reformas de Noverre no século XVIII, o balé entrou em declínio na França depois de 1830. Entretanto ele continuou a ser aperfeiçoado na DinamarcaItália e Rússia.
REPETINDO:  SECULO XV - SECULO 15 QUE CORRESPONDE AOS ANOS: 
Anos:
1401 | 1402 | 1403 | 1404 | 1405 | 1406 | 1407 | 1408 | 1409 | 1410
1411 | 1412 | 1413 | 1414 | 1415 | 1416 | 1417 | 1418 | 1419 | 1420
1421 | 1422 | 1423 | 1424 | 1425 | 1426 | 1427 | 1428 | 1429 | 1430
1431 | 1432 | 1433 | 1434 | 1435 | 1436 | 1437 | 1438 | 1439 | 1440
1441 | 1442 | 1443 | 1444 | 1445 | 1446 | 1447 | 1448 | 1449 | 1450
1451 | 1452 | 1453 | 1454 | 1455 | 1456 | 1457 | 1458 | 1459 | 1460
1461 | 1462 | 1463 | 1464 | 1465 | 1466 | 1467 | 1468 | 1469 | 1470
1471 | 1472 | 1473 | 1474 | 1475 | 1476 | 1477 | 1478 | 1479 | 1480
1481 | 1482 | 1483 | 1484 | 1485 | 1486 | 1487 | 1488 | 1489 | 1490
1491 | 1492 | 1493 | 1494 | 1495 | 1496 | 1497 | 1498 | 1499 | 1500


DANÇA DO VENTRE

A dança de ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do Oriente Médio e da Ásia Meridional. De origem primitiva e nebulosa, datada entre 7000 e 5000 a.C,1 seus movimentos aliados a música e sinuosidade semelhante a uma serpente foram registrados no Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Pérsia e Grécia, e tinham como objetivo preparar a mulher através de ritos religiosos dedicados a deusas para se tornarem mães. Com a invasão dos árabes, a dança foi propagada por todo o mundo.2 A expressão dança do ventre surgiu na França, em 1893.3 No Oriente é conhecida pelo nome em árabe raqṣ sharqī4 (رقص شرقي, literalmente "dança oriental"), ouraqṣ bládi (رقص بلدي, literalmente "dança da região", e, por extensão, "dança popular"), ou pelo termo turco çiftetelli (ou τσιφτετέλι, em grego).
É composta por uma série de movimentos vibrações, impacto, ondulações e rotações que envolvem o corpo como um todo.5 Na atualidade ganhou aspectos sensuais exóticos, sendo excluída de alguns países árabes de atitude conservadora.1

REPETINDO : DATA ENTRE 700 E 5000 ANTES DE CRISTO 

Preciso explicar??? 
Onde que o ballet influenciou a DV? 
Sou plenamente a favor de que cada um acredite no que quiser, mas contra fatos não há argumentos... É só parar pra analisar com calma... 
Então gatas e gatos, querem dançar ballet ventre, jazz ventre, funk ventre... e seja lá mais o que for que sua imaginação criar, dancem, sejam felizes... 

             MAS NÃO TOME ISSO COMO LEI, E QUE TODOS SÃO OBRIGADOS A ACEITAR ISSO COMO ORDEM. 

Outro Bapho ( ou mi mi mi ... ou sei la como se chamam esses pits...)

BABAÇÃO DE OVO... Não gosta da Diva é pq ta de recalque...
Serio gente... ?????????????
Pelo amo de Deus ninguém é obrigado a gostar das mesmas  coisas, e nem por isso ela tem inveja, recalque, e todas essas bobeiras que inventam... e tem sim o direito de dizer que não gosta de fulana ( sem agredir moralmente ninguém, é claro), é cliché mas...

     O QUE SERIA DO VERDE SE TODOS GOSTASSEM DO AMARELO?

E ai começa as brigas, pq se alguém fala que não curte a Diva tal, pronto lá vem as baba-ovo, cheio de... mas ela é Diva, ahhh mas ela merece respeito, ahhhhh não pode falar isso pq fulana é isso... FALA SERIO...
Gostar de alguém é ótimo, todos temos os nossos ídolos, e isso é super legal... 
Pessoas que a gente admira, se espelha e serve de inspiração. 
Mas isso não é motivo para fechar os olhos, colocar um cabresto, e dizer amem a tudo que essa pessoa faz, achar que só ela esta certa e sair endeusando ela por ai (mas uma vez, as pessoas são livres para fazerem o que quiserem, o que acharem ser melhor pra elas, mas, outra vez, isso não é verdade absoluta, por tanto não cobre dos outros o seu amor...) isso é chato, e ao invés de estarem abafando, quem não concorda com seu amor, vai rir e muito dessa situação... ( depois não reclamem de bulling).
Ou seja...
        CADA UMA AMA QUEM QUER, IDOLATRA QUEM QUER. MAS OBRIGAR AS OUTRAS PESSOAS A CONCORDAR COM ISSO, NÃO VAI ROLAR...

E outra... NINGUÉM ESTA SEMPRE CERTO DE TUDO, E NEM ERRADO DE TUDO... TODA HISTORIA TEM SEMPRE 3 LADOS, O SEU, O MEU, E O CERTO. E A MAIORIA DAS VEZES QUEM A GENTE PENSA QUE É DO BEM... NÃO TEM NADA DE DO BEM... MAS QTO A ISSO A VERDADE SEMPRE APARECE... SEMPRE... ;)


DIVAS, PSEUDO DIVAS, E... QUE É VC NA FILA DO PÃO???

 Então... quem é diva? 
 A palavra Diva é apenas uma denominação que significa :
 Diva é uma divindade feminina, uma deusa. No sentido figurado é uma mulher muito bonita. É um substantivo feminino derivado do latim divus(deusa). Diva era uma palavra inicialmente usada para célebres cantoras de ópera tendo o mesmo significado do termo italiano prima donna (a cantora principal de uma ópera).O significado de diva passou a ser usado para estrelas do mundo do cinema e da música e num sentido mais lato também designa uma mulher muito formosa ou uma musa.O masculino de diva, um divo, é utilizado no italiano para designar o cantor principal de uma ópera, o tenor.

Então... na real ninguém é diva, pois não somos cantoras de opera e nem atrizes de cinema... Salvo se vc esta dizendo que fulana é muito linda... ( e ai entra mais uma vez, a questão de gosto, de simpatia, e... , como não, a vontade de puxar o saco...)

Pseudo-Divas ... caso serio... ( falando no meio BD), quem te deu esse titulo? O que é "Diva" pra mim não é pra vc, então mais uma vez, não temos verdade absoluta, temos gostos pessoais... 

Quem é vc na fila do pão?
 Ninguém... ou seja, todo mundo... pq ninguém é nada, todos nos temos defeitos, todos nos temos qualidades, todos nos erramos, todos nos acertamos, OU SEJA TODOS SOMOS IGUAIS ( e isso é um direito assegurado pela constituição). Não há nada que um não faça que o outro não possa fazer, basta querer, se esforçar e estudar... 

Tudo na vida é possível, basta VOCÊ QUERER.

Então de uma forma geral, devemos mesmos:

 -PENSAR POR NOS MESMOS ( não dói viu), fazer aquilo que acreditamos ser o correto e não nos preocuparmos com o que fulano faz, como faz, ou deixa de fazer... 
-Vc não gosta de algo, simples, não veja !!!
-Não gosta de fulana, não olhe pra ela, não fale com ela, simples...
-Não gosta como aquela pessoa dança, ótimo não dance como ela, dance o que te faz feliz...

E não podemos esquecer que DV não é uma dança do nosso pais, então gata... NUNCA VAMOS SABER, BASICAMENTE, NADA DELA... NÃO É NOSSA CULTURA, NÃO VIVEMOS ISSO... então o máximo que podemos e devemos fazer, é estudar ( com fontes de lá, que isso é possível hj em dia de preferencia...) e ter em mente, que aqui, nada é verdade absoluta...

Vamos ser felizes pessoal, dançar o que nossa alma pede, respeitando ao máximo uma cultura que não é nossa, mas que amamos... Porque se não... O QUE SERÁ DE NÓS?

2015/02/08

Marcia Nuriah - Palestra MP 2015

 Hoje iremos divulgar uma palestra bem legal, que ocorrera no Mercado Persa 2015 ( maiores informações, como horários, inscrições, no site do evento). O MP, acontecerá entre os dias 10 a 12 de Abril, o WTC Events Center - SP

E NOS DA MAFIA IREMOS SORTEAR 2(DOIS) INGRESSOS COM ACOMPANHANTES, PARA O MP... (aguardem mais informações)



A Mafia, perguntou a Márcia Nuriah:
    - Oque ela pretende com essa palestra?
    - Poque ela achou isso necessário, e que resultados ela espera com a Palestra?


Segue na integra a resposta dela...



Eu pretendo mostrar como é possível utilizar elementos de danças acadêmicas ocidentais como o ballet clássico e contemporâneo em coreografias de dança do ventre de forma a melhorar a performance. Claro que você - a não ser que se proponha apresentar uma fusão bem especifica - não vai colocar um sapatilha de ponta e nem sair fazendo fouettes . Mas uma melhor utilização de linhas corporais, incorporação de linhas de cabeça, alinhamento de bracos, postura e equilíbrio, uma melhora na qualidade de giros, etc, podem ser alcançados com o conhecimento de técnicas básicas dessas danças.

Obviamente isso depende do estilo de dança que você se propõe a apresentar, o espaço cênico em que vai acontecer a performance e o tipo de publico que estará presente.
Não estou propondo uma descaracterização das danças folclóricas e nem tradicionais. Esses estilos tem características muito próprias e que se opõe as chamadas danças acadêmicas ocidentais ( por isso a expressão "encontro entre os opostos ") . Não é possível fazer fusões sem ter primeiro o domínio dessas técnicas.

Mas com o advento da modernização das danças árabes - que é mesmo uma ocidentalização da modalidade inclusive a partir de uma produção musical mais ocidentalizada - houve uma aproximação dos estilos.

Isso aconteceu de forma peculiar. Pretendo falar da aproximação, através da historia, da dança árabe com a dança clássica ocidental bem como da aproximação do ballet já neoclássico das danças orientais em geral - inclusive dança do ventre - que resultou na dança contemporânea dos anos 20.

Há muita polemica em relação a essa modernização e muita intolerância por parte de artistas mais conservadores, o que eu entendo como uma tentativa de preservar uma essência que pode se perder com o tempo, uma vez que essa influencia se faz presente com forca ate mesmo no Egito, considerado o berço exportador da dança árabe. Acho compreensível essa preocupação.

Porem eu considero que não é possível incorporar técnicas diferenciadas se você não dominar muito bem as técnicas de base da primeira modalidade. Por isso a palestra é aberta para o publico em geral mas a Master Class é restrita a professores.

Não se trata de descaraterizar uma dança e sim exercer de liberdade de criação artística para compor espetáculos elaborados com utilização de multi linguagens. Isso é uma proposta mais elaborada artisticamente .

Também há que diferenciar : existe "Fusão"e " Confusão". E preciso estar consciente do que pertence a qual técnica e como utiliza-las.

Eu não acho que seja "necessário" mas eu acho super interessante essa palestra do ponto de vista artístico e que um profissional que se proponha a trabalhar de forma diferenciada colete o maior numero de informações possível para seu repertorio.

Aqui na Europa as pessoas são muito conservadoras com relação as propostas folclóricas e tradicionais e ao mesmo tempo muito criativas com relação a propostas de fusões. A maioria dos professores é egípcia , chamam snuges de sagat, mas há muitos bailarinos egípcios em companhias profissionais de ballet que apresentam fusões nos festivais, como Nwarin Gad ,do Altho Theater, e são muito respeitados.

Eu vejo a dança como uma forma de comunicação. Uma técnica de dança é uma linguagem através da qual você expressa uma intenção, você quer dizer alguma coisa. Uma dança com utilização de multi linguagem abre o leque de possibilidades de comunicação. Como eu digo, nem tudo na vida é folclore.

Com relação as polemicas atuais ai sobre esse tema eu reitero que entendo a preocupação em preservar a essência da dança árabe que realmente pode se perder caso as pessoas não partam seu aprendizado do principio que é o tradicional, e que não é possível incorporar técnicas diferenciadas antes de dominar os princípios da técnica inicial , ou seja: primeiro você precisa conhecer muito bem a dança do ventre antes de incorporar elementos de outras técnicas para que saia bem feito.

Mas não foram polemicas que me motivaram, eu já tinha fechado a programação há bastante tempo com a Shalimar e já dei vários workshops inclusive aqui na Europa sobre esse tema.

Agora eu vejo a arte como um dos únicos campos onde podemos exercer a liberdade de forma plena. Não há desrespeito nenhum em se apresentar uma proposta diferenciada dentro de uma manifestação artística desde que coerente com os fins a que ela se destina. Acho isso positivo. Não se pode tolher o desenvolvimento impondo regras de comportamento desde o ponto de vista da linguagem ate mesmo estético.

Para isso já basta a proposta comercial , que tem limitado a dança a uma repetição e a padrões estéticos que, convenhamos , estão muito longe daqueles que representam a identidade cultural Arabe tradicional.
Essa imposição é que restringe ate o gosto pessoal de cada artista que deve poder encontrar e manifestar a linguagem com a qual melhor se identifica.

Mas desrespeito mesmo pressupõe ofensa. Que ofensa há em se incorporar tecnicamente linguagens diferenciadas em manifestações artísticas ?

Nesse ponto podemos comparar as brasileiras como asiáticos dançando samba. Uma vez que muitas de nos não tem qualquer relação de identidade ou ascendência árabe é necessário estudar muuuuuuuiiiito para pode incorporar tecnicamente aquilo que nas árabes é quase atávico, que já nascem compreendendo.

Nada mais justo e honesto do que incorporar em algum momento algo de sua identidade na sua arte, e essa identidade é ocidental.

Porque a dança argentina tem "cara de tango" as vezes? Muita gente não gosta, mas não há como negar que tecnicamente é uma dança muito elaborada, difícil, e verdadeira apesar de estar longe do tradicional.

Não é necessário gostar, mas não se pode lhes negar o direito de existência e nem o reconhecimento do trabalho para se chegar nesse resultado


Não é defender a fusão contra o tradicional ou folclórico, como alguns insistem em colocar. E entender que se tratam de coisas diferentes e que cada uma tem o seu espaço e o seu publico.

Eu espero contribuir de alguma forma com o aprimoramento profissional e conhecimento de pessoas que tenham interesse em uma proposta artística diferenciada. Abrir portas, construir pontes.

E eu defendo uma proposta artística e não comercial. Eu acho que a proposta comercial da ocidentalização dos padrões estéticos da dança, tao limitantes e tao reprodutivos, é que podem ameaçar a sobrevivência da essência dessa técnica.

A palestra sera no sábado as 11:30 horas. A Master Class sera sábado das 12:30 as 13:30, restrita a professoras.

Lembrando: A Mafia da DV, não se responsabiliza, por ideais postados aqui, cada entrevistado é responsável por suas opiniões. Não quer dizer que postado aqui, somos a favor, ou contra o assunto discutido.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...